Buscar
  • Marcos Travassos

Inovação - caminho sem volta


Por Marcos Travassos


Quando se fala em inovação, não existe uma fórmula comprovada para o sucesso. Falar de inovação num ambiente de negócio altamente competitivo parece “chover no molhado”. Mas, infelizmente, as organizações encaram a Gestão da Inovação como um “adendo” ao seu Sistema de Gestão. A inovação não deve ser encarada como uma “coisa a mais” e sim como um processo planejado, sistêmico, integrado e com objetivos claros e mensuráveis. Em 2015, a consultoria Mckinsey entrevistou líderes (em torno de 2.500) em mais de 300 organizações para descobrir quais os atributos essenciais em uma cultura inovadora, descobrindo um conjunto de oito características que estão presentes, em parte ou integralmente, em todas as grandes empresas de alta performance na inovação de produtos, processos ou modelo de negócios. Conforme o estudo da Mckinsey são eles:


1. Aspirar

Ter uma visão aspiracional somada a um planejamento estratégico atrelado a metas financeiras é fundamental para incentivar projetos inovadores dentro da organização. Quantificar as “metas de inovação” é um importante indicador que auxilia a solidificar as aspirações e estimular gestores a incluir investimentos em inovação em seu plano de negócios.


2. Escolher

O valor de novas e criativas ideias é intangível, entretanto, mais valioso do que ter é saber escolher quais, entre tantos insights, devem ser apoiados e levados adiante pela organização. Para facilitar o processo, os executivos podem definir condições que identifiquem e norteiem o tipo de oportunidades que querem explorar, direcionando os investimentos em inovação.


3. Descobrir

A inovação está diretamente atrelada à descoberta de novas ideias. Mas como gerar um insight? Além da opção de esperar a inspiração surgir – o que pode levar algum tempo – é possível olhar para os insights de forma sistemática examinando três áreas: um problema para resolver, uma tecnologia que oferece a solução e um modelo de negócio que gera dinheiro a partir disso.


4. Desenvolver

Diversificar o fluxo de lucros, mudar a economia da cadeia de valor e ampliar modelos de entrega fazem parte de modelos de negócio inovadores e, desenvolver novas formas de reinventar o negócio tem se tornado cada vez mais urgente para manter a competitividade.


5. Acelerar

Burocracia e processos lentos de aprovação costumam ser bastante prejudiciais à inovação. A melhor forma de driblá-los é incentivando a colaboração, a aprendizagem contínua e contar com gestores com habilidade e experiência para tomar decisões cruciais em tempo hábil, abrindo caminhos para que ideias inovadoras ganhem forma.


6. Hierarquizar

Algumas ideias, como bens de luxo ou alguns aplicativos mobile, são destinados a certos nichos de mercado. Outras, como as redes sociais, possuem alcance global. Considerar o alcance e a magnitude de uma ideia é fundamental para garantir os recursos e calcular os possíveis riscos de sua implantação.


7. Estender

Inovação requer colaboração. E, na maioria das vezes, a colaboração precisa ir além dos limites da organização. Os fluxos de talento e conhecimento transcendem fronteiras geográficas e é preciso estar aberto a criar parcerias externas e desenvolver fluxos inteligentes de colaboração dentro e fora da empresa.


8. Mobilizar

Estimular, recompensar e apoiar o pensamento inovador entre os colaboradores é outro aspecto essencial da inovação. Como fazer isso? Conectando inovação, estratégia e performance. Quando a empresa define metas financeiras e espaços de mercado para a inovação, estimula a geração de ideias e desenvolvimento de projetos entre os colaboradores.


Procure a Excellent para fazer um Diagnóstico visando identificar o nível de maturidade dos processos de inovação da sua empresa.

14 visualizações